A Agroflorestal Paequerê possui uma administração familiar há mais de um século. Está situada no Município de Capão Alto - SC, faz divisa com o estado do Rio Grande do Sul pelo Rio Pelotas. Atualmente a empresa possui plantações de Pinus spp, Araucária Angustifolia, Cryptomeria Japonica, Cupressus Lusitanica, Eucalyptus spp e pecuária.


NOSSA HISTÓRIA

     No início, a Invernada do Paequerê fazia parte da fazenda dos Gateados. A qual teve origem com a história dos tropeiros que passavam pela região de Lages. Naquela época o Sr. Firmino da Silva Rosa começou a adquirir terras na região dando origem a Fazenda dos Gateados. Mais tarde, foi dividida em três partes: Gateados, Guamirim e Paequerê. Recentemente a Florestal Gateados Ltda. forma uma empresa única de silvicultura. Já a Fazenda do Paequerê desenvolve atividades de silvicultura e gado de corte com duas administrações correspondentes. Atualmente, 45% da produção de pinus desta fazenda são exportadas para os países do primeiro Bloco (Estados Unidos e Europa). A Agroflorestal Paequerê estuda e investe em energias renováveis entre elas florestas plantadas.

     Na história da empresa Agroflorestal Paequerê a população indígena deixou traços de sua cultura: cestos de taquara, bruacas de couros crus, laços, medicina baseada na manipulação de ervas, folhas e raízes de vegetais entre muitas outras heranças. O nome da empresa significa passagem em Tupy Guarani.

     A vegetação e o clima do planalto serrano são considerados propícios à criação de gado e a pecuária extensiva e foi a principal atividade econômica que dura até hoje. A população rural, até a década de 50, era formada por contingente de trabalhadores subdivididos em duas categorias:
- Os caboclos peões, moradores e empregados nas fazendas de criação de gado;
- Os caboclos roceiros, pequenos produtores autônomos que praticavam uma agricultura de
  subsistência.

     A partir da década de 50, até meados da década de 70, a principal atividade econômica do município foi a extração de madeira nativa por descendentes de italianos e alemães com incentivo do governo. Em pouco tempo dezenas de madeireiras eram aberta no interior, uma delas na Fazenda dos Gateados na Invernada do Paequerê. As madeireiras foram formadas por uma construção principal, onde funcionava o escritório e morava o proprietário com a sua família ou o administrador, além das casas destinadas ao abrigo dos empregados e suas famílias. O proprietário era responsável pela construção das moradias. As madeireiras funcionavam como uma pequena vila, proporcionando aos funcionários uma vida semi-urbana com escola, capela e armazém. Mas com a modernidade, a busca por uma vida urbana e a transferência da madeireira para o centro do município do Capão Alto reduziu o número de moradores na vila do Paequerê.

     Com o fim da extração da madeira nativa, começou na década de 80, o plantio de pinus na região considerada com vocação a esta prática, devido à terra ácida e com muitas pedras. A fazenda dos Gateados foi uma das pioneiras e a Invernada do Paequerê, como era conhecida a vila madeireira, começou o plantio também na década de 80. Na década de 90 iniciou-se uma administração voltada especificamente para o plantio e a extração de pinus. Atualmente a empresa investe em uma gestão integrada visando o desenvolvimento sustentável.